Follow by Email

Seguidores

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

BEM, DONS E FÉ

Porque (Barnabé), era homem de bem e cheio do Espírito Santo e de fé. E muita gente se uniu ao Senhor. (AT 11:24)
Estas características de Barnabé atraíam as pessoas à Igreja. Devemos ser assim: Homens de bem, que anunciam a verdade abençoando. Homens cheios do Espírito, disposto a manifestar os dons com prudência e maturidade. Homens de fé! Fé inabalável, e fundamentada na palavra.
Precisa-se de homens e mulheres com uma fé racionalizada. Ora, Sabemos que há dois tipos de fé: A fé salvadora e a fé operadora. É bem fácil de identificarmos a fé salvadora: Pois quem nele crer, não perecerá, e quem não crer já está condenado! Esta é a fé na qual afirmamos que em Cristo temos vida eterna. E a fé operadora é aquela que se manifesta apenas nesta vida, quando por fé, poderemos ver as manifestações do poder de Deus operando. Há diversidades de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
Como Igreja de Cristo, nossa missão não é negar ou desmerecer nenhum dos dons, mas, contudo não devemos muito menos, fazer a apologia extremista destes dons. Precisamos ser uma Igreja conforme está em 1Pedro 1:4-8, onde se acrescenta à fé, a virtude, e acrescentemos à virtude a ciência, que é o conhecimento da palavra de Deus; e acrescentemos à ciência a temperança (ou moderação, prudência, cuidado no falar e no agir), e à temperança acrescentemos a paciência. Portanto, se somos uma igreja temperada quanto ao conhecimento da palavra, sejamos moderados e sem radicalismos, nem banalizações dos dons, mas, sim, pacientes, suportando as diferenças, e acima de tudo, sabendo conviver com as diferenças. Porquanto, desmerecer aqueles que têm dons, é desprezar o Espírito Santo.
O texto prossegue dizendo que devemos acrescentar à paciência, a misericórdia, que é o perdão as ofensas do outro. E devemos ainda acrescentar à misericórdia, o amor pelo próximo; e acrescentemos ao amor pelo próximo, o amor ágape; sendo assim capaz, até, de sofrer pelo outro, e como isto é difícil de alcançarmos: Sofrer pelo outro! Sim, este é o propósito da fé em Cristo: “Amar o próximo, assim como Deus nos amou. Então, verdadeiramente sereis meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.”
Busquemos, pois, conforme a medida da fé, os melhores dons espirituais, tendo zelo, e moderação em administra-los sem meninices, nem ufanismos.
Que ajamos no bem e em paz, cheios do Espírito, com a fé salvadora que nos dá esperança de vida eterna. E que a fé operadora manifeste-se nos dons espirituais com sabedoria e respeito mútuo. Busquemos, sobretudo o dom do amor, e sejamos temperados na palavra, e pacificadores. Respeitando o pensamento do outro. Procurando não manchar as mãos de sangue, mas sim, sarar as feridas e fazer o bem numa fé viva e vivificante. Só geramos, edificamos vidas e as atraímos para a Igreja , se formos benignos, cheios de dons espirituais, e tendo o mais excelente deles: o dom do amor. Assim seremos como Barnabé: Homem de bem, homem de fé, e homem cheio do Espírito Santo!
Pr. Felipe da Hora

COBRANÇAS DA ALMA

Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste, não devia tu igualmente ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim vos fará também meu Pai celestial... (Mateus 18:32-35)
Independente de pensarmos a história como fluxo livre ou como sistema, todos nós somos irremediavelmente chamados a comparecer em algum momento a fóruns nos quais devemos responder pelas decisões que tomamos. Um dos eventos teológicos de grande importância na revelação da fé é a crença da existência de tribunais. No contexto bíblico, esses são erguidos fora do âmbito da organização social, são gerenciadas sobrenaturalmente, para trazer a luz as justiças negadas pelo julgamento humano. Desta forma a bíblia faz menção do tribunal de Cristo, do julgamento das nações e do juízo final. Esses eventos têm recebido em parte, certas interpretações dramáticas duplicadoras das nossas tradições culturais. O fato é que corroborando com esse pensamento, a parábola pronunciada por Cristo começa dizendo que o Reino dos Céus assemelha-se a um rei que resolveu ajustar contas com os seus servos.
Existem diferentes perspectivas de se enxergar a vida. Duas me parecem notáveis: 1º Existem aqueles para os quais a vida é um sistema. Algo planejado e elaborado em algum lugar e que obedece a etapas previamente ordenadas, seguindo cursos dos quais não se pode fugir. E em 2º para outros (nos quais nos incluímos), a vida é a convergência de fluxos livres, é influências de energias que se encontram e nesses encontros as coisas acontecem. Daí o grande volume de poesias como: O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído... Eu vou deixar a vida me levar do jeito que ela quiser... Deixa a vida me levar, vida leva eu. No entanto, independentemente de um ou outro modo de pensar a vida, parece-me que os nossos atos fazem parte de uma grande rede e nos movemos em cadeia. Isto não quer dizer que somos programados, ao contrário, somos livres, mas que movemos as nossas vidas em função de nossas decisões e que as nossas decisões recebem cobranças éticas; parece que a despeito da injustiça humana, que maculou o planeta, a natureza e a vida, se movem dentro de um equilíbrio de justiça, de maneira que um maremoto, a consciência que não deixa dormir ou um vexame sofrido por alguém que vexame provocou, se me apresentam como tribunais (naturais) que se estabelecem o tempo todo nos quais somos chamados a prestar contas. (Sim, as conseqüências do pecado atuam neste mundo como tribunais terrenos). O fato é que precisamos saber que por mais que se multiplique a injustiça, e por mais que cresça o mau uso da liberdade dos seres humanos, todos nós estamos dentro de uma espécie de ordem que reclama posturas éticas o tempo todo. Ninguém está isento e nada é feito e fica por isto mesmo. Nestes fóruns o que menos conta é o veredicto das pessoas, e as maiores cobranças nascem da alma.
Pr. Alexandre Carneiro - ICHJ

Meditando neste texto, reconheçamos que apenas em Cristo podemos escapar dos juízos condenatórios. Apenas em Cristo temos a verdadeira paz, contudo cabe a nós abraçá-lo, e vivê-lo em sua integridade. Cristo hoje é Salvador, mas em breve Ele vem como Juiz, e todos hão de encara-lo. Receba-o hoje mesmo!!

Pr. Felipe da Hora - ICCS

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

PRATICANTES OU OUVINTES?

“Sede praticantes da palavra, e não somente ouvintes que enganam-se a si mesmo” (Tiago 1:22)

Aprender a andar com Deus é algo maravilhoso. Colocar em práticas as verdades aprendidas, é melhor ainda. O que se aprendeu não será mais uma verdade teorizada, mais sim, uma verdade prática. Por falta de praticar o aprendido, acaba-se esquecendo ou desprezando a sua necessidade. É lamentável vermos alguns cristãos ao ficarem neutros e indiferentes em certos assuntos, parecendo não possuir um compromisso com Jesus. Acostumaram-se a serem apenas ouvintes da palavra de Deus. Mas, somos advertidos contra esse mal, cada dia mais comum, cujo primeiro dano, é a própria pessoa! Repito: “Sede praticantes da palavra, e não somente ouvintes que enganam-se a si mesmo” (Tg 1:22).
Lembremos que, não dá para enganar a Deus. Sim, corremos o risco de enganar a nós mesmos com uma vida religiosa, se ficarmos apenas na teoria. Portanto, exerçamos práticas cristãs. Vamos verificar...
* O quanto da palavra de Deus ouvida tem moldado meus relacionamentos e negócios? É necessário termos comunhão e respeito para com o outro. Cada irmão e cada pessoa, é um desafio e uma oportunidade para desenvolver um bom relacionamento!
* O quanto a palavra de Deus ouvida tem me levado a um envolvimento e comprometimento com o Reino de Deus e com as almas? Sim, é necessário que eu participe e que leve o Reino ás almas perdidas. È mister que haja derramamento daquilo que tenho, daquilo que sou e daquilo que posso no altar do Senhor;
* Será o que tenho aprendido a ter controle sobre a língua, para não matar, não ferir, não agredir, nem difamar? Tiago diz que a língua que fala mal do outro: Solta veneno... Toca fogo... faz a vontade do inimigo e não de Deus. O alvo 1 do Cristão é controlar a língua.
* Será que, o que tenho aprendido tem me levado a um compromisso com os que sofrem fome e injustiças? Lembre-se, o que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.
* Será que o que tenho feito e falado, tem promovido paz, bom ânimo e esperança? Afinal, se não amo, e não perdôo ao meu irmão a quem vejo, como posso amar a Deus, ou receber o perdão dele?
O Senhor Deus espera que cada palavra que ouvimos seja filtrada e absorvida, e então praticada realmente como resultado de um compromisso, de que somos mais que religioso, mais que um mero ouvinte. Sim! Precisamos ser discípulos praticantes, e assim viveremos o compromisso de testemunhar ao mundo aquilo que Deus fez, faz e fará na nossa vida, mostrando que agora somos do corpo de Cristo. Sim, Ser praticante é ter as mesmas práticas de Cristo. Pratique!

(Pr. Felipe da Hora)

Membro de Igreja ou Discípulo de Jesus?

Há uma grande diferença entre ser membro e ser discípulo. Muitas igrejas ou grupos religiosos, tem muitos membros, participando de todas as atividades ali, mas muitos poucos são os discípulos de Cristo. Analisemos algumas diferenças entre ser membro, e ser discípulo:

1- O membro espera pães e peixes; o discípulo é um pescador;

2- O membro luta por crescer; o discípulo para reproduzir-se;

3- O membro se ganha; o discípulo se faz com paixão, unção e meditação;

4- O membro depende dos afagos do seu pastor; o discípulo está determinado a servir a Deus;

5- O membro busca elogios; o discípulo doa sacrifícios vivos;

6- O membro entrega parte de suas finanças; o discípulo entrega toda a sua vida, pois Cristo vive nele;

7- O membro cai facilmente na rotina ou no comodismo; o discípulo é um revolucionário;

8- O membro precisa ser sempre estimulado ou esmorece; o discípulo procura sempre estimular os outros, sua palavras trazem ânimo;

9- O membro espera que alguém lhe diga o que fazer; o discípulo está pronto a exercitar seus dons;

10- O membro reclama e murmura; o discípulo obedece e nega-se a si mesmo;

11- O membro é condicionado pelas circunstâncias; o discípulo as aproveita para exercer a sua fé;

12- O membro exige que os outros o visitem; o discípulo visita;

13- O membro busca na palavra promessas para a sua vida; o discípulo busca vida para receber as promessas da palavra;

14- O membro pensa em si mesmo; o discípulo pensa no outro;

15- O membro se senta para adorar; o discípulo vive adorando;

16- O membro pertence a uma denominação; o discípulo pertence ao Reino de Deus;

17- Para o membro, a meta é ser habitado pelo Espírito Santo; para o discípulo, é meio para alcançar a meta de ser testemunha viva de Cristo a toda criatura;

18- O membro vale porque soma e aumenta-se a comunidade; o discípulo porque multiplica, e gera outros para o Reino;

19- O membro espera receber para dar, o discípulo dar sem esperar receber;

20- O membro entra na forma do mundo, ou repele-o; o discípulo é um agente de transformação do mundo;

21- O membro espera milagres; o discípulo os fazem;

22- O membro velho é problema para a Igreja, o discípulo idoso é problema para o reino das trevas;

23- O membro se destaca construindo templos; o discípulo se destaca conquistando vidas;

24- O membro é forte soldado defensor; o discípulo é invencível soldado de ataque;

25- O membro cuida das estacas de sua tenda; o discípulo desbrava e aumenta o seu território;

26- O membro se habitua; o discípulo rompe com os velhos moldes;

27- O membro sonha com uma igreja ideal; o discípulo se entrega para fazer uma igreja real;

28- A meta do membro é ir para o céu; a meta do discípulo é ganhar almas para o Reino de Deus;

29- O membro maduro finalmente cruza os braços; o discípulo maduro assume a cada dia a sua cruz, e não olha para traz;

30- O membro necessita de festas para ficar alegre; o discípulo vive em festa pois tem a alegria, o fruto do Espírito;

31- O membro espera um avivamento; o discípulo faz o avivamento;

32- O membro agoniza sem nunca morrer; o discípulo morre e ressuscita para dar vida a outros;

33- O membro lamenta as dificuldades de convivência do ambiente; o discípulo faz o ambiente conviver na paz;

34- O membro espera uma almofada; o discípulo leva a sua cruz;

35- O membro tem um espelho para contemplar-se; o discípulo tem olhos para os outros;

36- O membro pede desculpas; o discípulo perdoa, reconcilia-se e esquece do passado;

37- O membro pede paz para o mundo; o discípulo para os corações receberem o Príncipe da paz;

38- O membro se lembra de pedir; o discípulo não se esquece de agradecer;

39- O membro se julga digno do altar; o discípulo traz outros para diante do altar do Deus digno;

40- O membro vive pelas circunstâncias; o discípulo vive pela fé;

Em verdade, em verdade vos digo: Quem crê, tem a vida eterna.(Jo 6:47)

Um professor evangélico estava se preparando para dar aula de Religião em um colégio. Deveria explicar sobre “fé”, e meditando sobre o que iria dizer, teve uma idéia:
- Sim! - pensou ele. – Darei de presente o meu relógio para aquele aluno que acreditar na minha oferta. Assim os meninos aprenderão o que significa a palavra “fé”.
E assim o fez. No outro dia , iniciando a aula, tomou o seu relógio precioso e disse para os alunos:
- Meninos, aqui está o meu relógio. Dou-o aquele que vier agora a frente, estender a sua mão e o pegar.
Todos os alunos começaram a rir. Somente o pequeno Carlos, sentado no último banco, ficou bem sério. Sabia que o professor nunca mentia. Estaria mentindo agora? Os outros meninos entreolhavam-se e cochichavam:
- Engraçado, nosso professor, começa aula de religião com uma brincadeira! É claro que quando alguém for a frente, ele rapidamente, esconderá o relógio no bolso. Relógio tão caro não se dá de graça.
Contudo, o Carlos levantou-se para ir a frente pegar o relógio. Quando os outros notaram sua intenção, começaram a debochar: “Que tolo... acreditou nisso?”
Intimidado, Carlos sentou-se. O professor, porém, continuava a balançar o relógio em sua mão, repetindo:
- Eu já menti alguma vez para vocês? Não? Então! A quem vier a frente e estender a sua mão, darei o relógio de presente!
Novamente, o Carlos se levantou e foi para frente. Não reparou nas risadas dos seus colegas. Não se intimidou mais, ia andando e pensando: “Ele disse! Ele disse que daria o relógio a quem for a frente e o pegar.
Chegou perto do professor, estendeu a mão e pegou o relógio. Virou-se e retornou ao seu lugar. Os alunos ficaram perplexos e perguntavam:
- Professor! Era verdade mesmo? Não foi uma brincadeira?
- Vejam meninos – respondeu- todos vocês acharam que eu estava mentindo. Mas, o Carlos acreditou na promessa e naquele que prometeu. Portanto isso é fé, e o relógio é dele sim!
E com grande decepção os meninos murmuravam: “Era tão fácil obter o relógio. Por que não o pegamos?”
Hoje, o Mestre Jesus nos oferece salvação grátis e completa. Quem crê?
Na cruz Ele eliminou todos os nossos pecados, e pelas suas pisaduras nós fomos sarados e o castigo que traz a paz estava sobre Ele.
Sim! Todas as nossas dívidas foram pagas por Cristo, e se não crermos nisso acusamos Jesus de mentiroso, e quem nega a verdade, se exclui da família de Deus.
Portanto, é preciso fé, pois todas as sua promessas são reais, basta-nos crer e se levantar, e determinar, e não duvidar, e se apropriar das palavras e do nome de Jesus.
A fé em Jesus é o segredo para o supremo tesouro!

Do livro: Amor sem fronteiras

VIRTUDE

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (AT 1:8) - E, perseverando unânimes todos os dias no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração (AT 2:46) - Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. , (AT 2:47)”

Estes textos alerta-nos que o servo de Deus deve buscar receber estas Virtudes, definidas em três pontos: A virtude do testemunho, do ânimo, e a virtude do carisma.

A VIRTUDE DO TESTEMUNHO – Todo cristão cheio do Espírito deve se dispor mais em ser testemunha do amor de Deus que falar de coisas carnais ou defeitos humanos. Os dons pentecostais são com um objetivo: Falar do plano de salvação de Deus para o homem! Ser pentecostal é ser testemunha do Senhor! Muitos que Pentecoste é benefício próprio, mas, Pentecoste tem como propósito: Evangelizar outros!

A VIRTUDE DO ÂNIMO – Todo cristão deve buscar esta virtude, pois, assim serão movidos no serviço de Deus firmando-se plenamente em aspectos racionais motivadores. Esses cristãos desenvolverão uma fé positiva, tendo bons sentimentos sobre si e sobre a obra. Ânimo é alegria e a singeleza do coração capazes de sonhar e gerar sonhos, esperança e fé pelas promessas do Senhor. Esta virtude tem que está em nós. Precisamos ter a virtude do ânimo. Não importa a luta, não importa a prova, nós sempre confessamos a vontade de Deus a partir de um ânimo pronto. Sem ânimo todas as outras virtudes ficarão aquém. Na Igreja esse ânimo deve ser em prol de um propósito. Sejamos verdadeiros pentecostais sendo UNÂNIMOS! Vivendo em comunhão! Sendo disposto no trabalho do Senhor.

A VIRTUDE DO CARISMA – Todo cristão deve desenvolver dentro de si um coração e uma face carismáticos. A bíblia nos ensina que carisma é a capacidade de atrair pela amizade, de atrair, pelo sorriso, pela palavra sábia. Um crente carismático cai nas graças do povo. Precisamos transmitir comunhão entre nós. Precisamos ser capazes de acolher e não espantar. Precisamos aprender a pagar o mal com o bem, a não ter ciúmes e nem preconceito. Todos são igualmente preciosos.O carismático atrai com gestos de amor. At 2:47. Sejamos carismáticos, ou seja cheios de alegria e de coração singelos, e humildes.Somente assim teremos um crescimento movido pela graça e não por dogmas ou atrações eclesiásticas circenses!

CONCLUSÃO – Sim, somos pentecostais. Todos nós, os que crêem nos dons como importantes e nos frutos como essência. Os pentecostalistas criam extremos e exageros não bíblicos: Esquecem-se do testemunho, do ânimo e do carisma. Mas, os pentecostais vibram pelo mover do Espírito com sabedoria e vida!

(Pr. Felipe)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

VOCÊ TEM ESPERANÇA

Deixando os ídolos, vos converterdes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro, e para aguardardes dos céus o seu Filho. (1Ts 1:9,10)
Há vários anos, o milionário Eugene Lang foi convidado para falar aos alunos de uma escola de um bairro pobre em Nova Iorque. O que poderia dizer para inspirar aqueles estudantes, sabendo que a maioria deles logo abandonariam os estudos?! Lang decidiu falar com eles aquilo que estava no seu coração.
“Continuem na escola”-Admoestou- “e eu pessoalmente ajudarei a pagar as despesas da faculdade de cada um de vocês”.
Foi um momento culminante de cada um daqueles jovens, que encheram-se de esperança. Creram na promessa daquele senhor. Um deles disse: “Agora eu tinha algo diante de mim para buscar, algo estava preparado mim, era meu... e isso era um sentimento maravilhoso”.
Quase 90% daqueles estudantes terminaram o curso superior.
Pessoas sem esperança são pessoas sem futuro, porém quando a esperança é restaurada, a vida é restaurada. E isso é uma verdade especial para aqueles que a Cristo, nossa bendita e eterna esperança. Ele é o fundamento inabalável da esperança.
Ele fez uma grandiosa promessa: Voltar a terra e levar consigo um povo que o ama e o obedece, para uma vida eterna. Um povo que crer, confessa-o e caminha nos seus passos. E para tanto recebemos ajuda do Espírito Santo, nos ensinando, nos lembrando, nos consolando, nos fortalecendo e em tudo que for necessário para que Ele complete a boa obra que começou em nós.
Ter Cristo é experimentar um novo tipo de vida agora, com uma viva esperança, e a plenitude ocorrerá quando Jesus voltar.
Você tem esta esperança? Se não, admita que você é um pecador. Confie em Cristo como seu único Salvador, e Ele encherá o seu coração com esta mesma e maravilhosa esperança.

De Pão diário No 3

DIANTE DE QUAL ALTAR?

DIANTE DE QUAL ALTAR?

E com aquelas pedras edificou o altar em nome do SENHOR; depois fez um rego em redor do altar, segundo a largura de duas medidas de semente. Então armou a lenha, e dividiu o bezerro em pedaços, e o pôs sobre a lenha. (1RS 18:32,33)
O texto narra sobre o profeta Elias, que fez um altar ao Deus verdadeiro, e com lenhas fez uma fogueira, mas não acendeu, apenas orou para que Deus aceitasse a sua oferta, o que aconteceu. (Ler capítulo 18 de 1Reis).
Os judeus tinham o hábito de fazer um altar, bem como um lugar para queimar as oferendas a Deus. Os pagãos também faziam algo semelhante para os seus deuses. Neste mesmo texto de 1Reis, os adoradores de Baal fazem um altar, e uma fogueira.
A fogueira, portanto simboliza oferta, oração e adoração. Um altar ao seu deus pessoal.
Lamentavelmente na França no século XII, uma cerimônia pagã, em homenagem ao deus Sol, o dia de solstício de verão, 22 ou 23 de Junho, acabou sendo introduzida na igreja, e depois por meio do sincretismo religioso, harmonizando deuses pagãos com santos homens da igreja, que passaram a ser adorados como deuses.
Chegou-se ao absurdo de se fazer altares para os deuses pagãos e desculpar o erro, dizendo que são para os homens de Deus. Mentiras!!
Nós evangélicos não devemos fazer altares para homens, nem fazer estas fogueiras, nem participar delas. Fugi da idolatria. Só ao Senhor daí glória.
A mentira diz: “Viva são Pedro! Viva são João! Viva santo Antônio! Quando sabemos que isto é exaltar e honrar a homens, é esquecer que eles são mortais, é deixar o Deus criador, pela criatura. Disse Jesus diante das mentiras do diabo: “Adorarás ao Senhor teu Deus, e só a Ele prestarás culto”. A nenhum outro cultueis!
Portanto, quando olhardes para uma fogueira saiba que ali está um altar. Um altar a deuses pagãos, ensinados por pagãos, ou seja, aqueles que adoram a homens, a animais ou a elementos da natureza. Nós os discípulos de Jesus, adoramos ao Senhor, portanto, façamos da nossa vida um altar ao Senhor.

APRENDENDO A COOPERAR

Não se faça a minha vontade, e sim a tua.(Lc22:42)
Um homem simplório foi questionado em como conseguia viver em tal estado de tranqüilidade, mesmo quando cercado por tantas adversidades.
Sua resposta foi simples, porém muito profunda: “Aprendi a cooperar com o inevitável”.
Poucas pessoas praticam esta abordagem sábia e real da vida. Muitos passam a vida inteira reclamando e lutando contra as situações que enfrentam, não percebendo que estamos cercados pelo poder de Deus e por sua vontade. O que precisamos é cooperar com a vontade de Deus!!
Quando Pedro viu seu querido Mestre, o Senhor Jesus ser traído, agiu impulsivamente tentando resolver o problema do jeito humano, e cortou a orelha de Malco, servo do sumo sacerdote(Lc 22:50). Jesus porém o repreendeu por esta tentativa de protege-lO dizendo: “Deixai, basta...” e então restaurou a orelha do servo.
Na vida de todos nós surgem problemas que se recusam a ir embora. Entretanto, aquilo que Deus permite, Ele também usa de forma redentora. Muitas vezes não entendemos o propósito da restauração de Deus, hoje, não nas orelhas, mas nos corações dos tantos “Pedros” que se dizem discípulos de Jesus.
Movidos pelo momento, movidos pelas circunstâncias, movidos pela aparência, o homem em geral foge da vontade de Deus.
É nas dificuldades que Deus nos ensina a confiar nEle, nos ensina a orar, a entender a autoridade do Nome de Jesus e a sua fidelidade.
Cooperar com Deus é usar cada oportunidade para confessar sua glória e seu poder restaurador. É crescer espiritualmente, e também aprender a sua vontade.
A questão portanto é vermos o poder de Deus naquilo que Ele nos permite passar. Muitas vezes dizemos: “Senhor, tira-me do meio deste caos”. O Senhor, contudo, pode estar dizendo: “Deixa-me entrar no teu caos, permita-me que eu mude você e não apenas as circunstâncias. Deixa-me restaurar verdadeiramente, o teu coração”.
Este é sem dúvida, o maior dos milagres!

O QUE É BATISMO? - (1)

O QUE É BATISMO?

“E apareceu João Batista no deserto, pregando batismo de arrependimento, para remissão de pecados... quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.” (Marcos 1: 4; e 16:16)

O batismo é para o cristão e discípulo, mais que uma cerimônia, é uma submissão à vontade de Deus e que tem nas escrituras total apoio e detalhes que muitos homens, até religiosos não têm se atentado ainda! Podemos afirmar que BATISMO É:
1. Uma expressão de um verdadeiro arrependimento. Nada adianta para um cristão sentimentos danosos como: remorsos, sentimento de culpa, ou o alto-aflagelar-se. O verdadeiro arrependido desvia-se do caminho mal e do pecado e volta-se para o caminho de Deus tendo a certeza do seu perdão, busca viver para Deus, e obedecer a sua vontade, e cresce na graça e no conhecimento de Cristo Jesus.
2. Uma expressão de plena confissão de fé. Portanto deve-se crer primeiro para ser batizado depois. É impossível haver um batismo cristão sem a pessoa batizada crer e entender em quem
se crer! É natural que se aproxima de Cristo creia que Ele exista como o Único Deus Verdadeiro, e suficiente Salvador. E assim peça o seu batismo. Por isso que crianças ou não convertidos, (pelo seu pouco entendimento) não devem ser batizadas.
3. Uma expressão de nova vida em Cristo. Em Colossensses 2:12 diz: “Fostes sepultados com Ele no batismo e igualmente foste ressuscitados mediante a fé no poder de Deus...”. No batismo há o sepultamento do velho homem, carnal, sem Deus, e servo do pecado, que é emergido nas águas, mas ao sair das águas é uma nova criatura ressuscitada para servir a Cristo. Todas as coisas velhas ficaram para trás, eis que tudo se fez novo. Batizar-se é sinalizar a Deus que aceita servi-lo voluntariamente: “Cristo morreu por mim para eu viver nEle”.
Não demore, peça o seu batismo, como testemunho de rejeição ao passado, de viver o presente no corpo de Cristo, e de quem espera a sua glória, recebendo na ressurreição a vida eterna!!

A PRIMAZIA DA FÉ

“Concluímos pois, que o homem é justificado pela fé independente das obras da lei.Visto que Deus é um só, o qual justifica por fé o circunciso e mediante a fé, o incircunciso.” (Romanos 3: 28 e 30)
Todo aquele que quer agradar a Deus e quem tem a bíblia como referencial para a sua vida cristã não pode fechar os olhos para essa verdade: Somente a fé justifica e salva! Seja circunciso ou incircunciso, legalista ou liberal, gentio ou judeu, são todos justificados apenas mediante a fé. Muitos poderiam alegar que as boas obras é que vale, mas como negar as evidências bíblicas que afirmam: “Sois salvos gratuitamente mediante a fé, e isto não vem de vós é dom de Deus, não vem das obras para que ninguém se glorie.” (Efésios 2:8 e 9).
É óbvio que se alguém pudesse ser salvo pelas próprias obras então poderia se gloriar diante de Deus, como se Deus não fosse o autor da salvação, contudo a salvação vem de Deus, e é de graça para mim, pois foi paga por Cristo, ao que mediante apenas a minha fé nEle ou seja, ao aceitar que Ele pague as minhas dívidas.
A bíblia nos fala também ,que não tenho a salvação para não fazer nada, devo portanto, andar nas boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas (Ef 2:10), e assim, não ter uma fé morta, inerte, sem frutos. Aquele que tem uma fé que salva, dá os frutos das boas obras. Cristo é a videira, nós os ramos ligados por fé, e as boas obras é apenas os frutos de quem é irrigado pelo seu Espírito. Ora, as boas obras são apenas o reflexo da fé daquele que é salvo para ser a luz do mundo.
Em Tiago, aprendemos que a fé verdadeira não anda nua, ou seja não fica sem obras! Em Tiago 2:14-26 afirma: Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura essa fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus... Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma... Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta. Sim! As obras são as vestes da fé.
A bíblia diz que o justo viverá da fé e não das obras! E Cristo afirma ainda : “ Eu sou a ressurreição e vida, quem CRER em mim ainda que morra viverá”. Ora, como negar tal verdade? Concluímos assim que, “Somos justificados, pois mediante a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, no qual alcançamos paz com Deus. E igualmente, mediante a fé em Cristo alcançamos acesso a graça e nos gloriamos na glória de Deus.”
A fé traz salvação e a salvação gera boas obras.

HÁ DIFERENÇAS ENTRE TREVAS E LUZ

HÁ DIFERENÇAS

Quando você diz que é cristão e que segue a Jesus, suas palavras são resultados de uma convicção pessoal ou de uma herança religiosa? Convicção é segurança, confiança, certeza de um fato inegável, é o reflexo da presença da fé. A Bíblia define convicção como sendo: “...a certeza daquilo que esperamos, e a prova daquilo que não vemos.”(Hb11.1)
Herança religiosa não tem nada a ver com fé. É apenas informação, hábito religioso familiar. Esse tipo de “cristianismo” independe do conhecimento da palavra de Deus e da obediência a Jesus. A convicção não permite ao cristão voltar atrás, e abandonar a fé. Ele é perseverante. Herança religiosa não cria embaraços. Ela se adapta segundo as circunstâncias ou ambiente, porque não tem compromissos.
A Bíblia afirma: “...O nosso evangelho não chegou a vocês somente em palavras, mas também em poder, no Espírito Santo e em plena convicção...” (1Tss 1:5). A convicção procede de Deus, por isso produz crescimento e fruto. A herança religiosa é estagnação. O cristão convicto tem certeza que Deus é poderoso para cumprir suas promessas e nessa certeza, enfrenta as dificuldades da vida diária. O herdeiro religioso não tem certeza de nada e sente-se completamente perdido quando elas se apresentam.
A convicção que é fé, dá ao cristão alegria e segurança quanto a vida eterna. Para ele a morte não é o fim. O herdeiro religioso não tem a mínima idéia quanto ao amanhã.
Apenas os convictos são mais do que vencedores em Cristo.
E você, é cristão por convicção ou é um herdeiro religioso?
“Porquanto o nosso evangelho não foi pregado a vós somente em palavras, mas também com eficácia, e em virtude do Espírito Santo, e em plena convicção, como sabeis que assim somos para vós, por amor de vós. De forma que vos tornaste modelo aos que abraçam a fé. (1 Tss 1:5 e 7)

TEORIA E PRÁTICA

Aprender a andar com Deus é algo maravilhoso. Colocar em práticas as verdades aprendidas é melhor ainda. O que se aprendeu não será mais uma verdade teorizada, mais sim, uma verdade prática. Por falta de praticar o aprendido, alguns cristãos ficam neutros em certos assuntos, parecendo não possuir um compromisso com Jesus. Acostumaram-se a serem apenas ouvintes da palavra de Deus. Somos advertidos contra esse mal, cada dia mais comum, cujo primeiro dano nos atinge diretamente: “Sede praticantes da palavra, e não somente ouvintes que enganam-se a si mesmo” (Tg 1:22). Contudo, não dá para enganar a Deus. Sim, corremos o risco de enganar a nós mesmos com uma vida religiosa quando fica apenas na teoria. Devemos portantos exercer práticas cristãs realmente e verificar:

* O quanto da palavra de Deus ouvida tem moldado meus relacionamentos e negócios;

* O quanto a palavra de Deus ouvida tem me levado a um envolvimento e comprometimento com o Reino de Deus e com o próximo;

* Se o que tenho aprendido de Deus me dá controle sobre a língua, para não matar, não ferir, não agredir, nem difamar quem quer que seja;

* Se o que tenho aprendido me leva a compromisso com os que sofrem fome e injustiças;

* Se o que tenho feito tem promovido paz, bom ânimo e esperança;
O Senhor Deus espera que cada palavra que ouvimos seja filtrada e absorvida, e praticada realmente como resultado de um compromisso, de que somos mais que ouvintes religioso, sim, somos discípulos praticantes, e sempre diante do Mestre. E temos o compromisso de testemunhar ao mundo aquilo que Deus fez, faz e fará na nossa vida. Um compromisso de mostrar pelo batismo que agora somos do corpo de Cristo. De revelar pelos frutos do Espírito, a fé doadora e dependente de Deus e praticante da palavra.
Foi vivendo o que aprenderam que os primeiros Cristãos mudaram o mundo. Estamos dispostos a sermos iguais?

ASPECTOS DA BUSCA A DEUS

“Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O, enquanto está perto” (Isaias 55:6)
Se alguém descobre um grande tesouro, não quer perde-lo. E Deus é o essencial na nossa vida. É preciso buscá-lo.

I- QUEM PODE BUSCAR? (Atos 17:27)
- Somos todos convidado a busca-lo, adquirir o entendimento, pois Deus não faz descriminação do que somos; pois Deus não está longe,. Jesus veio para os cansados, os doentes, os cansados, os cegos, os presos, os aflitos, os condenados, os famintos, para assim fazer neles e através deles algo para o seu Reino; (Mt 28:11)

II- PORQUE BUSCAR A DEUS? (Lucas 11:10)
- Porque somos falhos, criaturas pecadoras e separados de Deus; mas, em Cristo, quem busca, acha; quem pede recebe; quem bate, abrir-se-vos-à. Porque Ele não está surdo, ou com a mão recolhida, Ele é misericordioso, e não rejeita ninguém;

III- COMO BUSCAR A DEUS ? (Deut. 4: 29)
- De todo o Coração, realmente por paixão, com um sentimento sincero; precisamos sentir a necessidade de Deus. De toda a sua alma, com a mente, com entendimento, utiliza-se portanto a razão; precisamos entender a necessidade de Deus;

IV- QUANDO BUSCAR A DEUS? (Oséias 10:12)
- É tempo. Hoje é o momento de O buscarmos, não podemos esperar para amanhã, ou quando der certo...quando melhorarmos...Continuamente. (Salmo 105:4)
Significa agora mesmo, mas não cessar de busca-lO. Deve ser em cada detalhe de nossa vida, em cada decisão...dia após dia, busca-lo.
Quem deu crédito à nossa pregação? Até quando vou ficar ouvindo as mensagens e não aceitar esta verdade, que Hoje é o dia aceitável do Senhor. A oportunidade de começar a agradar a Deus. Não!! Não rejeite mais. Aproveite o convite e venha a este encontro. Receba Cristo, confesse-O como Senhor e Salvador de sua vida!!

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

A SEGUNDA MILHA

Esta ordem de Jesus nos diferencia do procedimento do mundo e do confessar Cristo com atitudes!

Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente. Eu, porém, vos digo que não vingue-se do mal recebido; mas, se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; E, ao que quiser pleitear
contigo, e tirar-te a túnica, oferece-lhe também a capa;E, se alguém te obrigar a caminhar uma milha, vai com ele duas. (MT 5:38-41)

O Senhor Jesus realmente apostava no conserto do ser humano, Ele realmente espera e pode nos capacitar para que, assim, O obedeçamos. Contudo, olhando para o cristianismo de hoje em dia é de admirar que Cristo nos convidasse a não responder “olho por olho”, e a oferecer o “bater na outra face”, ou ainda o “doar a capa a quem nos furtou a túnica”, e até mesmo, a andar junto, lado a lado, uma milha a mais, e assim aceitar conviver com quem não há tanto em comum.
Ou o povo de Israel era muito diferente do que somos hoje, ou não somos de forma nenhuma dignos de nos chamarmos de cristãos. Precisamos fazer uma análise do nosso procedimento e amor: Somos capazes ao menos, de nos calar diante da primeira batida na face? Somos capazes de ter a túnica tirada e silenciar-se? E a primeira milha, somos capazes de suportá-la?
Nas igrejas, hoje, em todo o mundo, temos pessoas que não se entendem, não se suportam, não se amam, e nem ao menos se falam. Não vão com a cara do outro. E são irmãos de fé, ou ao menos é o que supomos, pois ambos Têm confessados o nome do Senhor Jesus, pois assim se proclamam, contudo, o que identifica uma comunidade cristã é a qualidade do seu amor sacrificial e doador.
A igreja precisa ser luz. Se quisermos influenciar esta sociedade, é indispensável que consigamos, no mínimo, andar juntos a primeira milha. A vida cristã implica em comunhão e perdão. O cristão genuíno é capaz de andar e perdoar até 70x7, e isto com um coração prazeroso. E para tanto, pode-se começar esta caminhada com alguns conselhos: procure conhecer o outro, ore junto com ele, aproxime-se dele, respeite-o, valorize-o, pois ele também é filho ungido de Deus. Todos o somos!
Entendo que se os primeiros passos forem dados, conseguiremos a primeira milha, sim! E depois é que nós poderemos obedecer ao Senhor, e andar a segunda milha, e tantas quantas forem necessárias. É preciso abrirmos os corações, e tratar a todos por igual, amar a cada irmão igualmente, abraçar a cada um no acordo de Jesus. “Poderão dois andarem juntos, se não houver acordo?”. A falta de perdão, a ira, a mágoa, as decepções, os traumas, nos impedem de andar as milhas que Deus nos preparou. Pr. Felipe da Hora

Um membro real

SERÁ QUE SOU UM MEMBRO REAL?
Quando pensamos na chamada de Deus para os seus servos, ficamos nos questionando sobre alguns aspectos, mas há uma certeza tremenda, essa chamada não é feita de uma forma aleatória e sem propósito. Se somos inseridos no Corpo de Cristo, então é para ter alguma função. A pergunta que surge é: SERÁ QUE SOU UM MEMBRO REALMENTE EMEMBRADO? Sou ativo e participante da obra de Deus?
Um membro que está e sente-se do corpo, coopera para o crescimento do corpo de forma contínua, uniforme e apaixonadamente. Ser do corpo é estar presente de forma contínua, principalmente quando as suas funções dentro do corpo e talentos são solicitados. Um membro não pode ficar sem função dentro do corpo, e ficar alheio as carências que o corpo está passando. Ser indiferente, deixar pra lá, estar nem aí. Essas são características de pessoas mortas, de membros mortos, decapitados, insensíveis quanto aos gemidos e sorrisos do corpo. Um membro precisa entender que ele pertence a um só corpo, não pode ser de dois corpos, de duas igrejas, de dois senhores.
Podemos fazer tudo na nossa vida particular, mas não podemos simplesmente fugir dos compromissos, das atividades da Igreja, como um INDIFERENTE , ou como se não tivesse nenhuma responsabilidade dentro do Corpo de Cristo: “Não preciso participar, dá pra fazerem sem mim”. É por isso que muitos membros do corpo ficam sempre anestesiados. A insensibilidade os fazem ver, e não perceber a sua omissão; os fazem
ler, e não absorver nada para si; os fazem ouvir e não pousar no coração de pedra que têm, qualquer das palavras. São insensível demais para reconhecer que tem sido um ausente: “O outro lá que se vire sozinho, eu mesmo não vou ajudar...”.
Participar do corpo de uma forma contínua, exige tempo integral. Participar dele de uma forma uniforme, é acatar os princípios de liderança e de liderado. Para isto todo corpo tem uma cabeça.
Deus nos chama para termos uma vocação, e não um cargo na Igreja. Para termos participação e não um título. Para sermos compromissado e não oportunistas, fazendo apenas o que é de interesse particular, e que não seja necessário esforço e determinação.
A Igreja de Cristo sente falta destes líderes, e cooperadores, o que só é possível quando somos apaixonados pelo chamado, ou seja, se inserirmos intimamente, o desejo ardente de trabalhar para o corpo, e não pra si. É preciso sentir prazer na obra mais que em qualquer outra coisa e esmerar-se fervorosamente. A Igreja do Senhor tem sofrido, pois muitas vezes esquecemos que primeiro eu preciso ser um bom liderado, um bom membro, um bom servo, um bom discípulo...para ser então um bom líder, um obreiro aprovado por Deus, e pelos homens. Os membros sem compromissos, são líderes sem compromissos.
Participar da liderança da Igreja é mais que um título, exige apoiar a todos os trabalhos, e evolver-se neles, indo, contribuindo ou orando. Líder ausente é um membro fajuto. Líder oculto é um tolo covarde.
Oremos para que Deus nos mande obreiros para a sua seara. Que amem a igreja e são fiéis em sua fé
(Pr. Felipe da Hora)

domingo, 1 de novembro de 2009

Que verdade quero

As vezes pensamos que algo é a verdade, e até discutimos por isso, o motivo é que estamos sempre procurando defender aquilo que cremos ser a nossa verdade. Mas, Cristo nos advertiu que nada podemos contra a verdade, senão pela verdade. Ou seja, a verdade dos homens chega ao fim diante da verdade de Deus. Muitos até fogem das Igrejas que pregam integralmente a palavra de Deus, muitos até não têm coragem de ler a bíblia, muitos não querem ouvir, não querem se comprometer... tudo porque temos medo muitas vezes de descobrir a verdade de Deus.
Quando dizemos que existem dois tipos de pessoas: Os que agradam a Deus, e os que o desagradam. Quando dizemos que existem dois destinos: Ou o Céu, onde se vive eternamente com Deus, ou o Inferno, eternamente em condenação e em separação de Deus. É duro! Quando dizemos que todos os homens já nascem condenados a morrerem eternamente. Sim, é duro!
Mas, Deus enviou o seu Filho ao mundo para mudar os rumos das coisas. As criaturas condenadas a morte, em Cristo tornam-se filhos, e herdeiros de Deus (Jo1:12; 3:16; 11:25). As criaturas que eram escravas do pecado e do maligno, mediante o sangue de Cristo tem o seu resgate pago, é liberto das garras do acusador, e vive agora como servo da justiça, na liberdade de Cristo, em Espírito, e nenhuma condenação há mais. Aquele se preocupava apenas em acumular riquezas iníquas, tem prazer em cooperar com a proclamação da verdade, em levar o Reino de Deus as criaturas deste mundo. A verdade de Deus, é maior que as tradições, que as denominações, que todo conhecimento e ciência dos homens. Apenas a bíblia revela esta verdade superior. Que verdade quero? a minha, a de meus amigos, a que meus pais me deram, a que aprendi na escola, ou a verdade da Bíblia? Certamente, irei prestar contas diante de Deus, e desta verdade não poderei fugir, e nem você!!
Hoje mesmo tomemos a decisão mais segura: Senhor quero apenas a tua Verdade!

Uma vida que vale a pena

“Se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus”. (João 3:3)
O que faz a vida valer a pena? É a popularidade, é o poder, é a posição que ocupamos, é a nossa influência? Segundo Harold Hughes , um ex-governador de Iowa, nos Estados Unidos e senador daquele país: Não!! E continua: “O que faz a vida valer a pena é a nossa relação pessoal com Jesus Cristo”.
Ele confessa que na sua juventude, foi um bêbado, mentiroso, e trapaceiro. Chegando ao fundo do poço, em total vergonha e desespero, decidiu suicidar-se. Antes de se matar ele achou que deveria explicar a Deus os motivos daquele ato, e enquanto soluçava angustiado, algo miraculoso aconteceu: “Eu parecia uma criança perdida num temporal e tropecei, mas cai nos braços do Pai”. E a medida que experimentava a graça e o perdão de Deus, ele prometia: “O que você pedir... eu farei...”. Esse foi o começo de uma nova vida para Harold Hughes, uma vida digna de ser vivida.
Sim. Aquele que nasce em Cristo, é uma nova criatura e as coisas velhas ficaram para trás, e tudo se faz novidades! Nada mais de vícios, ou de falsidades, ou de egoísmos. Agora vale a pena viver., pois o viver é Cristo. O que importa é viver o reino de Deus: desde já, desde
aqui, a começar em mim! Ser uma criatura não mais na condição antiga de prisioneira do mundo, do mal, e do pecado, e condenado a morte, mas sim uma nova criatura, libertada por Cristo para o Reino de Deus, para experimentar o amor e a justiça de Deus.
Qualquer um de nós, não importa o quão derrotado ou humilhado esteja, pode submeter-se a mesma transformação, simplesmente abrindo o coração para Jesus Cristo. Essa foi a promessa que o Senhor e nosso Salvador fez a Nicodemos naquela noite: “Portanto, Deus tem amado o mundo de uma maneira tal, que deu até o seu Filho unigênito, com o propósito de que todo aquele que nEle crer, não pereça, mas tenha a vida eterna”.
Ao aceitar viver com Cristo, é ter uma VIDA triplamente abençoada:
• VIDA NOVA: Pois foi gerado em Cristo, e tem um relacionamento novo com Cristo, e com seu próximo, buscando ser santo;
• VIDA ABUNDANTE: Pois a visão e perspectiva de servir a Deus é diferente. É transborda todos os limites do fazer, do pensar e do pedir;
• VIDA ETERNA: Pois não é uma fé passageira, porque não é uma coisa natural, e os conceitos humanos não se inserem em seu Reino.
Venha hoje mesmo provar essa vida que vale a pena viver! Que vale a pena confessar, sempre. (Pr. Felipe da Hora)

É preciso saber ofertar

Em Atos 5: 9, há o veredicto de Pedro para as procedências do casal Ananias e Safira: “Porque vocês entraram em acordo para tentar o Espírito do Senhor”. A grande questão aqui é levar-nos a meditar sobre qual o motivo de Pedro dizer isto, já que a igreja vive de voluntariedade, por que Pedro abominou tal cumplicidade?
01- A doação de Ananias e Safira aos pés dos apóstolos era apenas para ficar com uma boa imagem, diante da Igreja. Aparentemente eles tramaram a doação como uma atitude política. Não foi algo voluntário, feita com amor, tornaram-se cúmplices na mentira, e pensavam em influenciar ao ministério. Sendo por isso desaprovado e envergonhado. Deus quer atitudes de pessoas com corações que sejam apaixonados pela obra verdadeiramente, e não interessados em promoções pessoais, partidárias que só faz o que tem proveito para si e/ou aos seus ambiciosos projetos pessoais.
02- Ananias e Safira também desagradaram ao Senhor, pois ofereceram a Deus as sobras daquilo que possuía . Diz o texto: “E reteve parte do preço... e levou o resto e depositou aos pés dos apóstolos”.
Muitas vezes nos preocupamos em reter, e em guardar para nós mesmo tudo o que podemos e se sobrar algo é que levamos aos discípulos nossa oferta.
Deus não quer sobras, esmolas, migalhas. Deus aceita o pouco quando é dado como tudo, mas rejeita e abomina o muito quando dado como sobra. É o que nos ensina Jesus ao mostrar a viúva que deu tão pouco, mas havia ali uma verdadeira entrega de uma verdadeira adoradora.
03- Ananias e Safira também não acreditaram na provisão de Deus. O texto dá a entender que eles eram ricos ou abastados e tinham medo de ficar dependentes dos outros. Resolveram ficar com parte para eles mesmo, por não crerem que Deus providencia todas as coisas. Devemos dar a Deus, não pensando na falta que aquele recurso vai me causar, como se fosse um prejuízo financeiro, mas, devo contemplar que, estou é ganhando: Pois Deus não vai permitir o devorador destruir-me, pois minha fidelidade traz maturidade espiritual no Corpo de Cristo, pois sou grato em participar do seu Reino.
Portanto, fujamos das cumplicidades perigosas e interesseiras. Fujamos das vaidades. Ninguém deve dar buscando vanglórias e projeções pessoais. Ninguém deve dar das suas sobras. Quando puder. Ofertar no Reino deve ser o primeiro investimento do adorador. Não se deve ofertar com medo de faltar depois, mas com confiança de que Deus fará o melhor em mim. (Pr. Felipe da Hora)

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

PALAVRAS SABOROSAS

“Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo” (Pv 25:11)

Nós cristão devemos ter cuidado quanto ao agir, e o mesmo se aplica ao nosso falar. O texto acima pode ser
dividido em três partes objetivas e distintas, facilitando nossa meditação:
I-As palavras ditas, são como maçãs douradas, portanto, a expressão douradas, nos levam a pensar a noção de valor e brilho das palavras, ao ponto de ser capaz de despertar desejos: “pela visão”, e pelo “aroma agradável”. Palavras saborosas insere boa visão ao EVANGELHO, e flui no ar o bom perfume de Cristo, portanto em todo lugar, e principalmente no altar, evitemos palavras grotescas, pejorativas, ou ambíguas, que acabam por exalar “mau cheiro” àquilo que se queria dizer. A luz de nossas palavras reflete a luz de Cristo. Seja exortando, seja consolando, seja ensinando, seja repreendendo, em todos os casos nossas palavras devem ser como as de Cristo com verdade e com amor!
II-As palavras devem ser servidas em salvas de prata, ou seja, ofertada de forma a revelar pureza. A palavra, é como maçã na bandeja, assim é o ensino de Jesus nas nossas vidas. Devemos viver na pureza do evangelho de Cristo, firmes na sã doutrina dos apóstolos. Vigiemos, pois há muitas bocas que pregam insensatez e contaminações, pois são suas bocas mentirosas, exploradoras e vaidosas. A palavra do Senhor afirma: De vossa boca, não saia nenhuma palavra torpe, maliciosa, mentirosa, ou danosa aos outros...
Abençoai e não amaldiçoeis! Incentivemo-nos uns aos outros ao bem!
III-As palavras devem ser ditas a seu tempo, o que denominamos, tempo apropriado, conforme é visto em Eclesiastes 3. E toda palavra dita em tempo apropriado deve ser dita de forma apropriada. Portanto aquele que exorta, seja em amor; aquele que estuda, haja esmero no estudo; aquele que aconselha, seja simples e prudente. As palavras só estão no tempo certo se não trouxer danos, nem aos lares, nem a Igreja, nem a vida espiritual dos envolvidos. A palavra dita no tempo e na forma de Deus, sempre trás crescimento aos que a aceitam.
Amados, que nossas palavras sejam desejosas como maças douradas; que sejam servidas na pureza dos ensinos de Cristo, e ditas oportunamente, na forma e com amor, pois Cristo é o Verbo, que tem as palavras de vida eterna.

ESTÁ ESQUECENDO?

ESTÁ ESQUECENDO?

“Guarda-te para que não esqueças o Senhor, que te tirou da terra do Egito” (Dt 6:12)

Certa vez um senhor ia viajando com sua esposa, de São Paulo para o Rio, e precisou parar em um posto de gasolina para abastecer, e saiu logo depois meio apressado. Uma hora depois percebeu que havia esquecido a sua esposa. Que vexame!! É difícil entender
como alguém pode esquecer a esposa, mas não somos muito diferente, no nosso relacionamento com Deus. Devemos portanto, ouvir o que Deus aconselhou:
Concentrem-se no propósito da vida, que é amar ao Senhor de todo o coração, de toda alma, e de todo o poder. (Dt 6:4,5)
Tornem-se tão íntimos da palavra de Deus, que vivereis segundo este propósito em termo de sentimento, entendimento e procedimento. (Dt 6:6)
Conversem sobre Deus com seus amados em todas as oportunidades, e revele a eles do amor de Deus. (Dt 6:7)
Procure ler mensagens, ou ouvi-las, e assim está sendo doutrinado constantemente, por isso é importante está nos cultos na igreja, orar, buscar evangelizar, etc. Pois a palavra é o nosso guia! (Dt 6:8,9)
Reconheçam que necessitamos de Deus sempre, não é apenas nos momentos de dor, de tristeza, de angústia. Deus não é Deus apenas nos perigos. Devemos reconhecer e buscar o Senhor na alegria, na paz, e ser-lhe grato por tudo que nos tem dado. (Dt 6:10,11)A única maneira de manter Deus em mente é ter comunhão diária com Ele.

VOCÊ ME AMA?

“Simão, filho de João... Tu me amas ... Amas-me mais do que os outros? (João 21:15)

I- Jesus reconhece a natureza humana de Simão. Chama-lhe de “filho de João”, ou seja, de carne, sujeito a pecar, abandonar, trair, mas Jesus está dizendo que Ele não desiste de nós, os homens. Ele continua nos chamando, e esperando que nós possamos ouvi-lo.
Jesus sempre tem uma palavra, uma pergunta a nos fazer, que vamos responder?
II- Jesus está questionando Pedro, que apesar de tê-lo traído três vezes, Jesus O ama, e aborda-o com esta pergunta tão íntima, tão acusadora, mas é ao mesmo tempo tão consoladora: “Se tu me amas Pedro esqueça-se das suas falhas, pois eu já não lembro delas, mas quero que me digas que me amas. Assuma o seu amor por mim. Assuma o seu amor por Jesus.
Assumir, não é apenas falar, é agir em prol das ovelhas, é preocupar-se com o Reino de Deus. É preocupar-se com as ovelhas do Pastor.

III- Em terceiro lugar, nosso amor por Jesus, tem que ser mais que os outros amores. Nosso amor a Deus tem que exceder as coisas deste mundo, que as tradições das religiões, ou as concupiscências. Nosso amor a Deus tem que ser com fidelidade, com adoração exclusiva: Só ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele prestarás culto. Tem que ser abdicação de si mesmo, e de todo e qualquer outra coisa. Quando o amor a Deus é maior, nos dobramos à sua vontade, o Reino vem até nós, nos tornamos súditos apaixonados pela a obra do evangelho.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

TIPOS SANGUÍNEOS

“O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado”. (1Jo 1:7).
O Hemoce de Fortaleza costumava distribuir um cartão aos doadores de sangue contendo as porcentagens dos tipos sanguíneos da população, determinando-se: O positivo=37,4%; A positivo=35,7%; O negativo 9,5%; B positivo= 8%; A negativo=6,3%; B negativo=1,5%; AB positivo= 1%, e o mais raro é AB negativo=0,6%. E o cartão fazia uma declaração: “ O tipo mais raro de sangue é aquele que falta quando alguém precisa”.
Isso nos faz lembrar que há um suprimento de sangue único, e que está sempre disponível para aqueles que precisam. O homem que está condenado a morte eterna, só pode escapar, e achar a vida se receber o sangue de Jesus que anula o câncer do pecado.
O sangue de Cristo foi derramado na cruz para suprir a nossa necessidade, pois agora Cristo pagou a nossa morte, e agora basta-nos exercermos uma fé nEle, nas suas promessas, confessá-lO e viver conforme a sua vontade. O sangue de Cristo nos faz renascer como novas criaturas, para uma nova vida.
A oferta que Cristo faz na cruz é voluntária, Ele disse: “Porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados. - (MT 26:28)”
Portanto, basta ao homem aceitar e receber a oferta que Cristo nos propõe. Quem assim faz passa a ter o DNA de Jesus, identificando-se diante de Deus, como membro da família celeste. Sim! Cristo nos Torna filho de Deus, adotado por meio de Cristo! Pois, a Palavra diz que: “Os filhos de Deus não são aqueles que nasceram do sangue humano, nem nascem da vontade da carne, nem do entendimento do homem, mas sim da vontade sacrificante de Deus”. - (JO 1:13)
Agora, é preciso que o homem tome uma decisão, porquanto disse Jesus: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia”. - (JO 6:54)
Todos nós temos a oportunidade de nos tornarmos verdadeiros Cristãos, basta-nos confessar: “Sou profundamente grato porque Jesus Cristo doou seu sangue na cruz por mim, para fazer com que eu tenha vida”.

Pr. Felipe da Hora

CRIANDO ELOS

“Naqueles dias, dispondo-se Maria, foi apressadamente à região montanhosa, a uma cidade de Judá, entrou na casa de Zacarias, e saudou Isabel” Lucas 1:39 e 40
Ao lermos este texto vimos o quanto Maria amava Isabel, e como ela era capaz de cultivar e zelar este laço amoroso. O texto, portanto, refere-se sobre a importância de criar e manter elos de amizade, e a partir daí, podemos usar estes elos, e chegar à mensagem da cruz. Para tanto é preciso apenas que aprendamos a criar elos como esta serva de Deus:
1- Estar disposto a ir, ou seja, é preciso coragem e determinação, e levantar-se com o propósito de enfrentar a caminhada, mesmo sabendo que a princípio não será fácil. Colocar-se no ponto e até sofrer danos para realizar a importante missão de fazer amigos. Se não estivermos dispostos e derramar suor, e plantar, e regar e podar... que frutos poderemos esperar na colheita? Você tem amigos? Evangelize-os! Se não tem, faça novos amigos!
2- Ir apressadamente, significa, ir sem demora, e sem desculpas. Vamos deixar a timidez pra lá. É tempo de buscar novos amigos para Cristo. Apressadamente! Não podemos mais perder tempo! Cada oportunidade será requerida por Deus. Assim como Maria, precisamos ir com pressa, movidos pelo desejo ardente de vermos as almas ao lado de Cristo. O seu relógio deve ser a bíblia!
3- Subir montanhas, significa vencer as barreiras, ou seja, apesar das diferenças, do medo devemos superar tudo para fazermos dos visitantes, amigos e depois discípulos. Maria não olhou a dificuldade da subida, ela simplesmente subiu! Empenhou-se nisto! O que pode lhe impedir de fazer a obra de Deus? Qual o esforço que você tem feito por esse Deus? Tem sido fiel nos dons, nas participações, nos dízimos e ofertas. Tem procurado orar? Que montanha pode te assustar. Não importa o tamanho da montanha, precisamos subir e cumprir o propósito de Deus em nós.
4- Entrar e saudar são atitudes que conquistam amigos. Devemos retirar todas as distâncias, e preconceitos. É preciso estar visitando outros e convida-los a visitar a igreja. E ao chegar na Igreja que cada visitante seja recebido por você também. Todos somos embaixadores, ou seja representante do amor celestial de Deus. Assim, certamente, há de se criar os elos, do vínculo da paz e do amor, preparando o caminho para o estes novos amigos perceberem que o Salvador está em nós: “Por que vem visitar-me quem tem em si gerado o Salvador?”. (Lc1:43) Eles precisam e verão Cristo gerado em nós se agirmos assim.

Pr. Felipe da Hora

MEDO, MÍSTICO E MANIA

E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se,
porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois.(Lc9:54 e 55)
O texto nos revela que há da parte dos discípulos de Jesus uma falta de amadurecimento ou entendimento do que lhes era ensinado.
Apenas porque os samaritanos não quiseram ceder pousada a Jesus(v.52,53), esses discípulos quiseram como que causar medo, e impor-se. Ninguém nunca poderá hospedar a Jesus de forma obrigada, ou por medo. Não se deve fazer ameaças, ou chantagem para a vontade de Deus entrar no outro. Não é por força nem por violência, mas, pelo Santo Espírito.
Os discípulos queriam ver o “fogo descer”. Essa é a tese do místico, não se conforma com a fé, nem com a Palavra. Quer estar vendo, tocando. Usam velas, águas purificadoras, rosas, sabonetes, crucifixos, fitas, sal grosso, etc. E esquecem do sangue de Cristo: purifica, tem poder, e basta!!Os discípulos citam de um acontecido com Elias, e querem fazer igual, como se Deus tivesse uma mania, uma formula repetitiva, e limitada para agir. A revelação de Deus é progressiva, e positiva, e não há espaços para manias, ou banalizações. Portanto, nós também, não devemos ter manias, essas tradições religiosas enferrujadas. Jesus certa vez critica aos anciãos e diz: é por causa das vossas tradições que vocês desobedecem os mandamentos de Deus. Que tipo de cristão é você? Tem medo do fogo do céu? Quer ver e tocar em objetos místicos? Tens colocado as manias e as tradições acima da fé e da palavra? Então não entendes ainda a vontade do Senhor: Servi-lo com prazer e alegria; ter uma fé no invisível, e pela palavra; e servi-lo em novidade de vida e derrubar as velhas manias.

Pr. Felipe da Hora

VALORIZANDO OS NOSSOS DIAS

Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio. (Sl 90,12)
Durante este novo ano, que está se iniciando, podemos refazer as contas e repensar sobre o que temos feito com o tempo que Deus nos tem dado: São 365 dias; 8.760 horas; 525.600 minutos. 31.536.000 segundos, e será que estamos valorizando ou contando este espaço de tempo de forma correta? Temos valorizado o momento histórico que possuímos? Será que o ocupamos valiosamente e de forma relevante? Precisamos nos examinar e redefinir nossas prioridades. Podemos continuar indiferentes diante de tantos números e oportunidades desperdiçadas, ou somá-los a uma espiritualidade prática e frutífera.
Portanto, que neste ano possamos contar os nossos dias de forma a ter tempo para: o trabalho, o lazer, o descanso, a família, etc. É preciso também que tenhamos um espaço de tempo para nós mesmos, como pessoa e servo de Deus, contudo, o mais valioso dos momentos que precisamos redefinir, é delimitarmos oportunidades para atuarmos e contribuirmos na obra de Deus.
Será que nosso cristianismo é nanico, mesquinho e paupérrimo? ou temos manifestado um evangelho pleno e pragmático? Será que sabemos a importância do lugar onde estamos, e para onde vamos, ou somos indiferentes a esses princípios e oportunidades? Que legado temos deixado aos nossos rastros?
A nossa vida cristã é semelhante a um passageiro que estar aguardando em uma “parada de ônibus” um veículo específico, cujo destino devemos definir. Precisamos ser atentos e cônscios do ônibus a ser tomado, identificando a si onde realmente deseja ir.
A Igreja do Senhor deve estar ciente de que neste ano novo, é primordial aproveitar o tempo e as oportunidades. É sabido, pois que, muitos até estão nesta “parada”, fazem parte da Igreja, mas não sabem que rumo tomar! Não têm idéia do privilégio de servir a Deus, acomodando-se a inércia de suas cadeiras brancas.
E você? Está ciente daquilo que é, e daquilo que Deus quer de vós? Estás ciente de que este é o tempo ideal para tomar uma decisão, no agir em prol do Reino? Sabei, pois, que contar os dias é valorizar, é participar, é construir uma história de paixão pela obra de Deus, e Ele conta com você. Devemos servi-lo em tempo integral, não apenas as sobras... (se sobrar?) Confessemos: “Proponho gastar e aproveitar o meu tempo contigo Senhor!”
(Pr. Felipe da Hora)

domingo, 30 de agosto de 2009

O PROPÓSITO DA MENSAGEM

O propósito deste blog não é exaltar homem nenhum. Mas, restringe-se a humilde intenção de tocar os corações de pessoas desejosas de uma palavra de Deus, e que navegam pela rede web dirigidas pelo Espírito para este encontro.
Receba aquilo que Deus tem para ti.
Embreve estaremos com não poucas mensagens e o Senhor falará contigo certamente.

Quem tem ouvido, ouça o que o Espírito diz à Igreja.

DIRETORIA ICB 2013-2014

A 51ª Assembléia dos Ministros da ICB deliberou em nova eleição a seguinte liderança nacional: DIRETORIA NACIONAL - Presidente: Pr. Mayldson Fernandes; Vice presidente: Pr. Márcio Morais; Tesoureiro Nacional: Prb. Fco Carneiro; Secretário Geral: Pr. Pedro Rodrigues; DIRETORIA SENAMIC - Secretário de Missões: Pr. Antônio Dantas; Secretário Adjunto -Pr. João de Souza; Tesoureiro de Missões -Pr. Cléber de Sousa; CONSELHO DE ÉTICA - Pr. Fco Souto; Pr. Felipe da Hora; Pr. Adilson de Jesus; Pr. Isac dos Reis; e Pr. Iremar Santos. CONSELHO FISCAL - Pr. Joel Medeiro; Pr. Aluízio Otaviano; Pr. José Souto. Compõe ainda a Diretoria os Representantes das Regiões Eclesiástica, a saber: 1- REGIÃO LESTE RN PB PE BA: Pr. Geraldo Lima; Pr. Erinaldo Veríssimo. 2- REGIÃO OESTE RN PB PE BA: Pr. David Marroque; Pr. Fco Higino; 3- REGIÃO OESTE RN SERIDÓ: Pr.Isac Reis; Ev. Fco Elieudo; 4- REGIÃO NORTE CE: Pr. Felipe da Hora; Pr. Jurandi Bezerra; 5- REGIÃO SUDESTE: A receber dados; 6- REGIÃO MAPI: Pr. Francildo Gomes; Mss. Elis Regina; 7- REGIÃO OESTE CENTRAL: Pr. Nicássio de Assis; Pr. Paulo Abdias; 8- REGIÃO LESTE OESTE CE: Pr. Herbert Amorim; Pr. Cavalcante Neto.

Ouça Rádio Evangelho

Uma Igreja compromissada com o Reino

A Igreja de Cristo do Centro de Sobral, convida a todos os amigos do Evangelho para construirmos uma Igreja Teraupeta. Jesus nos chamou para sermos tratados nele, mas também para sermos canal para tratarmos outros. Visite-nos!

DEUS AMA VOCÊ